CONTROLE DE PRAGAS


       Leia abaixo a metodologia de combate e as doenças causadas pelas pragas mais comuns.

   
METODOLOGIA
DOENÇAS
CONTROLE DE BARATAS  
  • INSETICIDA ADEQUADO A CADA TIPO DE BARATA
  • PULVERIZAÇÃO GERAL DE INSETICIDAS NO LOCAL INFESTADO
  • GELTICIDA EM PONTOS ESTRATÉGICOS
  • APLICAÇAO DE PÓ INSETICIDA NO LOCAL INFESTADO
  • INSTALAÇO DE PLACA ADESIVA EM LOCAIS ESTRATÉGICOS
  • COLÉRA
  • LEPRA
  • CONJUNTIVITE
  • PÓLIOMIELITE
  • PNEUMONIA
  • INFECÇÃO URINARIA
  • INFECÇÕES DE PELE
  • GANGRENA GASOSA
  • HEPATITE B
CONTROLE DE CUPINS 
  • PULVERIZAÇÕES DE INSETICIDA LÍQUIDO
  • APLICAÇÕES DE INJEÇÕES
CONTROLE DE MORCEGOS 
  • LIMPEZA E REMOÇÃO DAS FEZES
  • REMOÇÃO DOS ANIMAIS
  • IMPLANTAÇÃO DE BARREIRAS FISICAS
  • APLICAÇÃO DE REPELENTE QUIMICO
  • RAIVA
  • HISTOPLASMOSE
  • SAMONELOSE
  • PARASITAS
  • ALERGIAS
CONTROLE DE POMBOS 
  • LIMPEZA E HIGIENIZAÇÃO DOS LOCAIS AONDE SERÃO APLICADOS O REPELENTE
  • APLICAÇÃO DO GEL REPELENTE CONTRA POMBOS
  • RETIRADA DE NINHOS QUANDO TIVER
  • INSTALÇÃO DE TELAS E BARREIRAS FÍSICA
  • CRIPTOCOCOSE
  • HISTOPLASMOSE
  • ORNITOSE
  • SALMONELOSE
  • DERMATITES
CONTROLE DE PULGAS 
  • LIMPEZA DO LOCAL ONDE IRÁ SER APLICADO O PRODUTO QUIMICO
  • APLICAÇÃO DE PRODUTO QUIMICO LIQUIDO
  • EM CASO DE PRESENÇA DE ANIMAIS DOMÉSTICOS, OS MESMOS, DEVERÃO SER LEVADOS A UM VETERINÁRIO PARA SER ANALISADO SE HÁ INFESTAÇÃO DE PULGAS, SE HOUVER, ELIMINANDO A INFESTAÇÃO
  • DIROFILARIOSE
  • BABESIOSE
  • ERLICHIOSE
  • LEISHMANIOSE
  • DOENÇA DE LYME
  • SARNA
CONTROLE DE ROEDORES 
  • CONTROLE DE RESTOS E RESÍDUOS DE ALIMENTOS E RAÇÕES
  • IMPLANTAÇÃO DE BARREIRAS FÍSICAS
  • LIMPEZA E REMOÇÃO DE ENTULHOS E VEGETAÇÕES
  • DRENAGEM OU FECHAMENTO DE RECIPIENTES COM ÁGUA
  • LEPTOSPIROSE
  • TIFO
  • PESTE BUBÔNICA
  • FEBRE HEMORRÁGICA
  • SALMONELOSE
  • NEFRITE EPIDÊMICA
  • SARNAS
  • MICOSES
  • HELMINTÍASES
CONTROLE DE VETORES 
  • APLICAÇÃO DE PRODUTOS QUIMICOS CONTENDO FEROMÔNIOS (Moscas)
  • ARMADILHA LUMINOSA (Moscas, Mosquitos)
  • APLICAÇÃO DE INSETICIDAS ESPECIAIS, FUMACÊ (Mosquitos)
  • APLICAÇÃO DE PRODUTOS QUIMICOS LIQUIDOS EM RALOS E ONDE HOUVER ACÚMULO DE ÁGUA (Mosquitos)
OBS:  A espécie Aedes eagypti, transmissor da dengue, não está contemplada  nas atividades de controle, porém as ações de controle ao pernilongo domésticos irão contribuir indiretamente a mortalidade do mosquito.
  • TIFO (Moscas)
  • DISENTERIA (Moscas)
  • CONJUNTIVITE (Moscas)
  • CÓLERA (Moscas)
  • DIARRÉIA (Moscas)
  • POLIOMELITE (Moscas)
  • LEPRA (Moscas)
  • TUBERCULOSE (Moscas)
  • ERISIPELA (Moscas)
  • MALÁRIA (Mosquitos Portadores)
  • FEBRE DE DENGUE (Mosquitos Portadores)
  • FEBRE AMARELA (Mosquitos Portadores)

CONTROLE INTEGRADO DE PRAGAS

CONTROLE INTEGRADO DE PRAGAS é um conceito que propõe o emprego simultâneo e sistemático de diferentes métodos, usando estratégias químicas e não químicas. É um sistema que enfatiza o caráter preventivo em busca das causas, visando a eliminação dos agentes infestantes na sua origem.

O CIP leva em consideração a biologia e o comportamento das pragas, em conexão com as características estruturais e ambientais, a fim de orientar decisões que levem a resultados efetivos determinando métodos, produtos e periodicidade, ancorados nas orientações das Boas Práticas de Fabricação e de controles do APPCC.

O CIP não deve ser uma ação isolada do prestador de serviços. Sua eficácia está também atrelada a conscientização da empresa como um todo, através da compreensão do processo, atenção às eventuais sugestões de mudança, ações físicas corretivas de estrutura, etc.


Fotos


 

Clique para ampliar